segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Alecrim (Rosmarinus officinalis)


+
Alecrim, alecrim dourado,
que nasce no monte sem ser semeado.
Ai, meu amor, quem te disse a ti
que a flor do monte era o alecrim?! 
(Letra e música: Popular)
+
A par da prímula, da erva-besteira, da vinca e do tojo-arnal, também o alecrim está entre as primeiras plantas a florir no meu jardim. 
Quanto à letra da música acima expressa, confesso que em miúdo me causava alguma confusão - sou natural de Aveiro, onde efetivamente existem muitos alecrins, mas apenas nos jardins! Aquando das minhas primeiras incursões à zona calcária do Oeste, percebi que a música popular afinal não era um embuste, o alecrim nasce mesmo no monte e sem ser semeado! 
O aroma do alecrim sempre me impressionou. Torna-se o odor ainda mais forte e intenso quando o alecrim é queimado. Nos meus tempos de infância, quando trovejava, a minha mãe queimava alecrim benzido no dia de ramos. Acreditava-se piamente ser esta uma forma de interceder junto de Santa Bárbara… 
O alecrim é uma planta sobejamente conhecida, frequentemente utilizado com fins culinários, medicinais e religiosos, sendo que a sua essência também é utilizada em perfumaria. 
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ 
Nome vulgar: alecrim; alecrim-da-terra; alicrizeiro; alecrinzeiro; rosmaninho.
Família botânica: Lamiaceae
Nome científico: Rosmarinus officinalis
Distribuição Geral: Região Mediterrânica. 
Distribuição em Portugal: encontra-se disperso em diversas manchas do território nacional, sendo a mancha quase contínua, a Sul. 
Habitat: ocorre dos 0 aos 1500 metros de altitude em matos, matagais e terrenos incultos, em formações arbóreas abertas, locais secos e expostos. Rupícola. Indiferente edáfica preferindo contudo os solos calcários. 
Floração: quase todo ano mas essencialmente entre janeiro e maio. 
Características: 
Trata-se de um arbusto aromático perenifólio, muito ramificado que pode atingir os dois metros de altura, geralmente ereto apesar de existirem também exemplares de forma prostrada. O alecrim forma moitas. Possui hastes lenhosas com folhas pequenas, coriáceas, sésseis e lineares, verdes na página superior e branco-tomentosas na página inferior. As flores possuem cálices verdes ou purpurescentes, com corolas azuis reunidas em cimeiras. O fruto é um aquénio. 

O alecrim, largamente utilizado em jardins, é muito ornamental. Não necessita de cuidados especiais, é resistente ao frio e tolerante à exposição direta ao sol, dispensando a rega. 
Pode ser propagado a partir de uma planta já existente, através do corte de um ramo novo com cerca de 10–15 cm, retirando algumas folhas da base e plantado diretamente no solo. A propagação através de sementes é um processo também possível mas muito mais demorado. 
Desenvolve uma longa floração durante quase todo o ano. Melífero, fonte de atenção especial por parte dos insetos, o alecrim contribui para dinamizar a biodiversidade no jardim. 
Rafael Carvalho / fev2013

5 comentários:

  1. É muito lindo esse alecrim! Também lhe queria dizer que as estacas que me deu já pegaram e brotam novas folhinhas! :D

    ResponderEliminar
  2. Núria,
    fico contente pelas estacas. Dadas as condições de envio, tinha receio quanto ao resultado final.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  3. Na minha opinião foi tudo bem enviado! As plantas por vezes são bem mais resistentes que o que nós pensamos, eu bem sei, pois pratico 'negligência benéfica' com as plantas do meu jardim (até com as roseiras) e elas não se parecem importar ;).

    ResponderEliminar