sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Sabugueiro (Sambucus nigra)







+
Durante muito tempo, o sabugueiro foi para mim uma planta desconhecida. Deslocado por motivos profissionais da Beira Litoral para o Alto-Douro, margem Sul no caso, mais dia menos dia a minha ignorância deixaria de o ser. No Douro-Sul, concelhos de Tarouca, Armamar, Moimenta-da-Beira e Lamego, em verdadeiros pomares monoespecíficos o sabugueiro é disciplinarmente cultivado como qualquer outra fruteira. Também é visto a bordejar campos agrícolas de outras culturas. O seu fruto, aqui denominado por “baga”, após seco é exportado para países como a Alemanha. O sabugueiro tem aplicações nas indústrias farmacêuticas, agroalimentar, têxtil e cosmética.
Uma vez identificada esta espécie autóctone, rapidamente me apercebi dos locais onde naturalmente ocorre - orlas de matagais, sebes marginando linhas de água, outros locais húmidos e sombrios, ruínas…
Autóctone e com importância económica na região, no meu jardim o sabugueiro não poderia faltar!

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
Nome vulgar: bieiteiro, candelheiro; canineiro; flor-de-sabugueiro; galacrista; rosa-de-bem-fazer; sabugo; sabugueiro; sabugueiro-negro; sabugueiro-preto.
Família botânica: Adoxaceae.
Nome científico: Sambucus nigra.
Distribuição Geral: grande parte da Europa, Cáucaso, Oeste e Sudoeste da Ásia; subespontânea na Argélia, Tunísia, Açores e Madeira.
Distribuição em Portugal: Norte, Centro e Sul interior, também presente no Algarve.
Habitat: bosques e matas de terreno fértil; ornamental; ripícola; sebes e margens de campos; locais húmidos e sombrios.
Floração: março – junho
Características:
Arbusto ou pequena árvore lenhosa de 2 a 5 m, mais raramente até 10 m de altura. O caule do sabugueiro possui casca cinzento-acastanhada e verrugosa. Tem ramos quebradiços, com medula branca. Caducifólio, possui folhas opostas, pecioladas, com 5 a 7 folíolos compridos e serrados, pontiagudos. As flores são pequenas e numerosas, regulares, branco-amareladas, aromáticas, dispostas em grandes cimeiras planas. O fruto do sabugueiro é uma baga negra com 3 a 4 sementes.
O sabugueiro é muito decorativo e de grande beleza em quase todas as estações do ano. As suas flores alimentam variados insetos úteis. As flores dão origem a soberbos cachos de bagos pretos muito procurados por diversos pássaros que ajudam a dispersar as sementes. O sabugueiro é pois um aliado na expansão da biodiversidade do jardim. Tolera a poluição atmosférica, a geada e a neve bem como os sítios costeiros. É resistente à poda. Indiferente edáfico, apesar de preferir solos húmidos também resiste aos secos. Satisfeito e contente com a meia-sombra, suporta contudo o sol direto. O sabugueiro tanto pode ser plantado em maciços como em sebes campestres. Propaga-se facilmente por estaca no outono ou por divisão no inverno; pode também propagar-se por sementeira na primavera; renova bem pelo cepo.
Rafael Carvalho / out2013

4 comentários:

  1. A primeira vez que vi pomares de sabugueiros na Queimadela (Armamar) até esfreguei os olhos para ver se não estaria enganado. Por que iria alguém cultivar em tão larga escala um arbusto cujos frutos não parecem ter qualquer valor comercial? Fico agora a saber que o segredo está na exportação.

    Saudações,
    Paulo Araújo

    ResponderEliminar
  2. Ora Paulo,
    estamos sempre a aprender.
    Retribuo as saudações!

    ResponderEliminar
  3. Bom saber que existe mais uma pessoa que se preocupa com a natureza. Vou tentar saber onde poço encontrar e conhecer na zona de Lisboa.

    ResponderEliminar
  4. Bom saber que existe mais uma pessoa que se preocupa com a natureza. Vou tentar saber onde poço encontrar e conhecer na zona de Lisboa.

    ResponderEliminar